GERALDO MARMO COELHO VAZ

FUNDADOR E PRIMEIRO TITULAR DA CADEIRA 25- COELHO VAZ. COELHO VAZ(GERALDO MARMO COELHO VAZ), de Goiânia, Goiás, 24.09.1940, escreveu, entre outros, "VULTOS CATALANOS"(1959). Por causa disso, é tido como Poeta de Catalão. 
Escreveu também "MENSAGEM LIVRE"(POEMAS-1971), "ÁGUAS DO PASSADO" (POEMAS-1986), “CORPO DO NOTURNO”(POEMAS-1990), “POEMAS DE ASCENÇÃO” (1963), "REVIVENDO" (DISCURSOS-1986), “CORPO NOTURNO”(1990), "RASTRO LITERÁRIO"(CRÔNICAS-1991), “CAMINHOS DE SEMPRE” (POEMAS-1996), “MEMÓRIA DO PODER JUDICIÁRIO DE GOIÁS”(1998), “DIÁRIO DE TROPEIRO”(1999), “LITERATURA GOIANA-SINTESE HISTÓRICA”(2000), “AQUINO PORTO E A INDUSTRIALIZAÇÃO EM GOIÁS”(2001), “GOIANIA-69”(2002), “SENADOR CANEDO-VIDA E OBRA”(2004), “COELHO VAZ-POEMAS REUNIDOS”(2004), “SELETA ACADÊMICA”(2005), “FORÇA LITERÁRIA”(2005), “VINTE POEMAS E DESENHOS ILUMINADOS”(2006). 
Foi Secretário de Cultura do Governo do Estado. Ex-Presidente da Fundação Cultural Pedro Ludovico, durante o Governo peemedebista de Iris Resende Machado. 
Advogado. Procurador do Estado Aposentado. Fazendeiro. Escritor, Ensaísta, Pesquisador. Jornalista, Memorialista, Intelectual. Pensador, Ativista, Produtor Cultural. Literato, Cronista, Contista. Administrador, Educador, Ficcionista. Conferencista, Orador, Poeta. 
Encontra-se na SÚMULA DA LITERATURA GOIANA, de Augusto Goyano e Álvaro Catelan, na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho, edição do MEC, l990. 
Membro da Academia Goiana de Letras, Cadeira 36, cujo Patrono é Visconde de Taunay, de que foi fundador Francisco Ayres. Atualmente(2007), é o Presidente da Academia Goiana de Letras. 
Sócio da Academia Catalana de Letras, da União Brasileira de Escritores de Goiás, de que foi seu Presidente e sendo Vice-Presidente o escritor baiano Mário Ribeiro Martins, na época, residente em Anápolis. 
Também sócio da Associação Goiana de Imprensa, do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, do Conselho Municipal de Cultura de Goiânia, da Ordem dos Advogados do Brasil. 
Foi um dos fundadores do Grupo de Escritores Novos(GEN). 
Estudado nos livros ESTUDOS LITERÁRIOS DE AUTORES GOIANOS e ESCRITORES DE GOIÁS, de Mário Ribeiro Martins. 
Presente na ESTANTE DO ESCRITOR GOIANO, do Serviço Social do Comércio e na PEQUENA HISTÓRIA DA LITERATURA GOIANA, de Alaor Barbosa, na antologia A POESIA GOIANA NO SÉCULO XX, de Assis Brasil, bem como em GOIÁS-MEIO SÉCULO DE POESIA, de Gabriel Nascente, além de DICIONÁRIO DO ESCRITOR GOIANO, de José Mendonça Teles. 
Atualmente(1998), foi eleito, pela terceira vez, Presidente da União Brasileira de Escritores de Goiás(UBE). 
Biografado no DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO DE GOIÁS, de Mário Ribeiro Martins, MASTER, Rio de Janeiro, 1999. 
Nasceu em Campinas (Goiânia), no dia 24 de setembro de 1940. Filho de Glicério Coelho e Maria Vaz Coelho. 
Em 1942, com 2 anos, mudou-se com os pais para o município de Ipameri e em 1947, com 7 anos, seguiu para Catalão, interior goiano, onde concluiu o curso primário, ginasial e o técnico de contabilidade, em 1961, com 21 anos. Daí ser considerado filho de Catalão. 
Chegou a estudar no Seminário São José, de Campinas, durante dois anos. Ao lado de nomes ilustres da literatura goiana, formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais, em 1966, com 26 anos, na Faculdade de Direito, da Universidade Católica de Goiás. 
São de sua turma, entre outros, os escritores Miguel Jorge, José Mendonça Teles, Alaor Barbosa, Iêda Schmaltz, Edir Guerra Malagoni, Martiniano José da Silva e Luiz Fernando Valladares. Com exceção de Ieda Schmaltz(falecida), Edir Malagoni e Luiz Fernando, todos os outros chegaram à Academia Goiana de Letras. 
Além de ter fundado o jornal “A VOZ DO ESTUDANTE”, de Catalão, foi também repórter do jornal “FOLHA DE GOIAZ”, de Goiânia. 
Casou-se com a advogada e artista plástica Alcione Guimarães, com quem tem o filho Paulo Sérgio. Sua esposa Alcione, alem de Artista Plástica, escreveu também ZUARTE(Kelps, 2000), com notas de orelha de Darcy França Denófrio, constituído de (40)quarenta poemas e mais (40)quarenta Quadros-Poemas. Publicou tambem "FUSO DE PRATA"-CONTOS(São Paulo, Nankin Editorial, 2006), com notas de orelha de Valentim Facioli. 
Professor do Liceu de Goiânia e da Academia de Polícia, além do Colégio Comercial Cinco de Julho. Diretor financeiro da SANEAGO e seu assessor jurídico. Chefe do Cerimonial do Governo do Estado. 
Secretário de Estado da Cultura, no Governo de Iris Resende Machado e a quem coube a transformação da dita secretaria, em Fundação Cultural Pedro Ludovico Teixeira. 
Na sua primeira gestão como Presidente da União Brasileira de Escritores de Goiás, teve como Vice-Presidente, o escritor Mário Ribeiro Martins. 
Aposentou-se como Procurador do Estado de Goiás. Na Academia Goiana de Letras, ocupa a Cadeira 36, cujo Patrono é Visconde de Taunay e de foi fundador Francisco Ayres. 
Membro do Conselho Municipal de Cultura de Goiânia. 
No Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, é o 1º Titular da Cadeira 11, tendo como Patrono Honestino Guimarães. Na atual diretoria(2007-2009), é o 2º Vice-Presidente. 
Detentor do TROFEU TIOKÔ(1994), da UBE de Goiás. Medalha HUGO DE CARVALHO RAMOS(2004), do Conselho Estadual de Cultura de Goiás. Recebeu, em 2004, o PREMIO CLIO DE HISTORIA, da Academia Paulistana de História. Detentor da Comenda GRÃO-MESTRE DA ORDEM DO MERITO ANHANGUERA, do Governo de Goiás, no grau de Comendador. 
Em 1998, elegeu-se pela terceira vez Presidente da União Brasileira de Escritores de Goiás. É o atual Presidente da ACADEMIA GOIANA DE LETRAS. Ultimamente(2004), lançou na FUNDAÇÃO JAIME CÂMARA, em Goiânia, o livro SENADOR CANEDO-VIDA E OBRA, com notas de orelha de José Sêneca Lobo e apresentação de Antônio César Caldas Pinheiro, além de notas de contra capa de José Mendonça Teles. 
A Enciclopédia de Literatura Brasileira, de Afrânio Coutinho, Edição do MEC, 1990, reeditada em 2001, sempre o tratou como GERALDO MARMO COELHO VAZ. 
Pouco analisado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001. Estudado no DICIONÁRIO DO ESCRITOR GOIANO(Kelps, 2006), de José Mendonça Teles. 

Na Academia Goianiense de Letras é o Titular da Cadeira 25, entre os Titulares, tendo como Patrono Ricardo Paranhos
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br

Bookmark and Share