José Ubirajara Galli Vieira

José Ubirajara Galli Vieira

Cadeira:40

Patrono:Afonso Félix de Sousa

Status:

JOSÉ UBIRAJARA GALLI VIEIRA-UBIRAJARA GALLI, de Pires do Rio, Goiás, 22.02.1954, escreveu, entre outros, "POEMAS E PAPOS"(1977), “A FABULA DO EXTASE”(1982), "LICORES DA CARNE"(POEMAS-1988), "SETEMBRO NA POESIA", “POEMAS BALZAQUIANOS”(1986), “AMOR INVERSO”(POEMAS-1990), “ANTOLOGIA DE POESIA PIRESINA”(1991), sem dados biográficos completos nos livros. 
Escreveu também “TATUAGENS EM FUGA”(1998), “ALMÍSCAR”(1994). Este, com prefácio de Maria Terezinha Martins e notas de orelha de Darcy França Denófrio e Reinaldo Barbalho. 
Publicou também “A HISTÓRIA DA INDUSTRIA GRÁFICA EM GOIÁS”(2004), “A HISTORIA DA MINERAÇÃO EM GOIÁS”(2005), “A HISTORIA DA PECUARIA EM GOIAS”(2005), “A HISTORIA DA HOTELARIA EM GOIÁS”(2005), “LIMPADOR DE NÓDOAS”(CONTOS-2005), “ANTOLOGIA POÉTICA BRASIL, CHILE E PERU”(2005), “ORLANDO ALVES CARNEIRO-ILUMINADO EMPREENDEDOR”(2006), “A HISTORIA DO BATISMO CULTURAL DE GOIÂNIA”(2006), “OS ANHANGUERAS EM GOIAS”(2006), “A HISTÓRIA DO COMERCIO EM GOIÁS”(2006), “ALDEMAR DE ANDRADE CÂMARA”(BIOGRAFIA-2006), “CARLOS DAYRELL”(BIOGRAFIA-2006). 
Foi Diretor do Instituto Goiano do Livro e Assessor Geral da Secretaria Estadual de Cultura. Dirigiu a Ação Cultural da Fundação Pedro Ludovico. Professor, Escritor, Poeta. Memorialista, Ensaísta, Pesquisador. Ficcionista, Educador, Conferencista. Pensador, Ativista, Produtor Cultural. Literato, Cronista Contista. Administrador de Empresas. Funcionário Público Estadual. 
Membro da União Brasileira de Escritores de Goiás, de que foi Presidente, da Associação Goiana de Imprensa. 
Encontra-se na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho, Edição do MEC, l990. 
Atualmente(1998), Presidente da Fundação Cultural Pires do Rio, sua terra natal. 
Presente na ESTANTE DO ESCRITOR GOIANO, do Serviço Social do Comércio e em quase todas as antologias de poesia e prosa publicadas em Goiás. Incluído nos livros ESTUDOS LITERÁRIOS DE AUTORES GOIANOS e ESCRITORES DE GOIÁS, de Mário Ribeiro Martins. Estudado na antologia GOIÁS-MEIO SÉCULO DE POESIA, de Gabriel Nascente e no livro A POESIA GOIANA NO SÉCULO XX, de Assis Brasil. 
Biografado no DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO DE GOIÁS, de Mário Ribeiro Martins, MASTER, Rio de Janeiro, 1999. Muito bem estudado no DICIONÁRIO DO ESCRITOR GOIANO(Kelps, 2006), de José Mendonça Teles. 
Nasceu em Pires do Rio, Goiás, no dia 22 de fevereiro de 1954. Filho de Ludgero Carolino Soares Vieira e Elisa Galli Vieira. 
Iniciou, em 1961, os estudos primários em sua terra natal, na Escola Sagrado Coração de Jesus, no Grupo Escolar Martins Borges e no Grupo Escolar Vasco dos Reis, de Urutaí, interior goiano. 
Começou o curso secundário em Pires do Rio, no Ginásio Sagrado Coração de Jesus, mas só concluiu no Colégio Estadual de Goiânia, o famoso Liceu de Goiás. 
Preparando-se para os exames vestibulares, estudou também em Colégios Pré-Universitários. 
Formou-se, em Goiânia, na Faculdade Anhanguera de Ciências Humanas, bacharelando-se em Administração de Empresas. 
Seu primeiro livro de poesia, “POEMAS E PAPOS”, foi publicado em 1977. Foi Diretor do Instituto Goiano do Livro e Assessor da 
Secretaria de Cultura de Goiás. Editor do Suplemento Cultural do Jornal Top News. 
Dirigiu o Departamento de Ação Cultural da Fundação Pedro Ludovico Teixeira. No biênio de 1994 a 1996, foi Presidente da União Brasileira de Escritores de Goiás. 
Com vários outros livros publicados, encontra-se hoje (1998) em sua cidade natal, como Presidente da Fundação Cultural de Pires do Rio. Presidente do Country Clube de Pires do Rio. Criou em 1984, junto com Jacy Siqueira, Virmondes Campos Junior e Silvio Felipe, o Concurso de Poesia Falada Cidade de Pires do Rio. 
Eleito para a Academia Goiana de Letras, tomou posse como titular da Cadeira 19, cujo Patrono é Joaquim Xavier dos Guimarães Natal, de que foi fundador Mário de Alencastro Caiado, tendo sido titular João Batista Gonçalves Accioly Martins e Waldir do Espírito Santo Castro Quinta. 
Diretor da Casa de Cultura Altamiro de Moura Pacheco, pertencente à Academia Goiana de Letras. Assessor do Instituto Cultural José Mendonça Teles. Presidente da Academia Piresina de Letras e Artes. Produtor de textos da Empresa Contato Comunicação. 
Membro do Conselho Municipal de Cultura de Goiânia, da Academia Urutaiana de Letras, Artes e Ciencias. Membro correspondente da Academia Catalana de Letras e da Academia de Letras, Ciências e Artes de Inhumas. Patrono do Instituto Histórico e Geográfico de Inhumas. 
No Instituto Histórico e Geográfico de Goiás é o 2º Titular da Cadeira 01 que tem como Patrono Pedro Ludovico Teixeira e de que foi 1º Titular Paulo Bertran Wirth Chaibub. Na atual diretoria(2007-2009), é o 2º Bibliotecário. 
Apesar de sua importância, não é suficientemente estudado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001 ou DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc. 
Na Academia Goianiense de Letras é o Titular da Cadeira 40, entre Correspondentes, tendo como Patrono Afonso Félix de Souza. 
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no sitewww.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br

Bookmark and Share