IBIS FERREIRA SOARES BRANDÃO

Ibis Ferreira Soares Brandão

Cadeira:33

Patrono:César da Cunha Bastos

Status:

IBIS FERREIRA SOARES BRANDÃO, de Rio Verde, Goiás, 24.08.1945, escreveu, entre outros, DISCURSO DE POSSE, sem dados biográficos completos e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa, via textos produzidos. 
Filha de Euripedes Ferreira e Ceres Bastos Ferreira. Após os estudos primários em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde também estudou. 
Curso Primário: Colégio São José – Goiânia ((1954-1957). Curso Ginasial: Colégio Assunção – Goiânia (1958-1961). Curso Normal : Colégio Bennett do Rio de Janeiro (1962-1964). Curso Superior: Universidade Federal de Goiás–Goiânia(1965-1968), com 23 anos de idade. 
Mestrado: Diplome d´Études Approfondies(DEA). École des Hautes Études em Sciences Sociales(EPHESS)-Paris,França. Orientador: Prof.Alain Touraine (1971-1973). 
Doutorado: Diplome de IIIème Cycle Institut d´Etude du Développement Économique et Social(IEDES), Sorbonne, Paris-França (1971-1973), com 28 anos. Orientador: Alain Touraine. Tese defendida e aprovada: “Formation et évolution sócio-économique de Goiás dans le processus de développement dépendant brésilien”. 
ESPECIALIZAÇÃO: Civilização Francesa (1969), Universidade de Paris I, Sorbonne (França). Prof. Maurice Duverger e outros. Engenharia Econômica (1970). Universidade Federal de Goiás – Faculdade de Engenharia. 
Movimentos Sociais (1971-1972). Prof.Alain Touraine – IEDES, Paris-França. Problemas Urbanos (1971-1972), Prof. Manuel Castells – IEDES,Paris-França. Problemas Rurais (1971-1972),Prof..Michel Gutelman – IEDE,Paris-França. Mudanças Sociais e Participação (1971-1972), Prof.Albert Meister – IEDES, Paris-França. 
Aparelhos Políticos e Luta de Classes (1972-1973).Escola Prática de Altos Estudos em Ciências Sociais- Paris,França, Prof. Nikos Poulantzas. Situação e Sistemas Políticos (1971-1972), Prof.Abdel Malek – IEDES, Paris-França. 
Reforma Agrária no Chile: Análise dos Programas, Implicações Sociológicas (1971-1972), Prof. M.Goussault – IEDES, Paris-França. Planificação (1971-1972), Prof. M.Olivier – IEDES, Paris-França. Sociologia da Comunicação e da Música (1977-1995), Prof.Pierre Schaeffer,em caráter particular. Música Serial (1978), Prof..Max Deutsch – Paris, França. 
EXPERIÊNCIA ACADÊMICA: Universidade Federal de Goiás (1970 –1974). Faculdade de Filosofia Ciências e Letras – Goiânia-Goiás. Universidade Federal Fluminense (1974-1977). Faculdade de Economia – Niterói–Est.Rio de Janeiro. Faculdade Cândido Mendes (1974-1977). Faculdade de Direiro e de Economia- Rio de Janeiro-RJ. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975-1977). 
Curso de Sociologia e Extensão Universitária. Universidade Federal de Viçosa-MG (1079-1980). Mestrado em Sociologia Rural. Universidade Federal da Paraíba- Campus II, Campina Grande (1980-1985). Mestrado em Sociologia Rural, Faculdade Ciências Sociais e Faculdade de Desenho Industrial. 
Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNPQ – UFPB). Bolsista (1981-1984). Pesquisa : O modelo cultural de Campina Grande. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (FAPERJ). Bolsista (1992-1993). Pesquisa: Estado X Sociedade Civil – Relações Sociais da Música no Rio de Janeiro. 
Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira. Co-autora do Projeto , Supervisão Cultural e Pedagógica. Orquestra Afro Brasileira (1995- 2000). Sistema FIRJAN – SESI. Co autopra do projeto, Supervisão Cultural e Pedagógica Orquestra Afro Brasileira. Período: 1998- 2001. 
EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: Excursão Científica entre os índios karajás (1965). Universidade Federal de Goiás – Ilha do Bananal. Assessoria à Pesquisa Sócio-Econômica (1965), Universidade Federal de Goiás (CRUTAC-GO), Nerópolis-Goiás. 
Assessora de Planejamento (1965-1971). Governo do Estado de Goiás- Secretaria de Planejamento e Coordenação. Coordenadora Levantamentos Sócio-Econômicos Micro-Região dos baixões agrícolas piauienses (1973-74). Universidade Federal de Goiás – Picos-Piauí. 
Supervisora da equipe e do Programa “Estudo de tráfego do plano diretor- remodelação do serviço ferroviário do Grande Rio (1976-1977). Consórcio Engevix- Sofrerail-Sofretu. Integrante do Departamento de Pesquisa – Fundação Leopoldo Senghor. “Processo de Desenvolvimento Africano” (1978)-Rio de Janeiro. 
Membro Fundador – Centro Brasileiro da Mulher (RJ-1974). Grupo de Mulheres Latinoamericanas, Paris, 1971. Supervisão de Simone de Beauvoir. 
Fundação César Bastos (1985-1990). Função: Presidente. Supervisão do projeto arquitetônico - Teatro , projeto de Oscar Niemeyer (1986). Etapas: estudo preliminar, anteprojeto, projeto definitivo,detalhes de arquitetura, e maquete. Local provável de construção: Rio Verde – Goiás. 
Leitura Técnica e Revisão de tradução do “Tratado dos Objetos Musicais”, de Pierre Schaeffer (1995). Universidade Nacional de Brasília - EDUNB. Supervisão cultural e captação de recursos da Orquestra Afro Brasileira: Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira (1995-2000). 
Federação das Indústrias do Rio de Janeiro- Serviço Social da Industria (1998-2001). Coordenadora do Programa Goyazes –Lei Estadual de Incentivo a Cultura – Governo Estado de Goiás. Agencia Goiana de Cultura Pedro Ludovico – AGEPEL, A partir de agosto de 2001. 
Coordenação acervo fonográfico. Museu da Imagem e do Som (MIS), Agencia Goiana de Cultura Pedro Ludovico- Agepel, Desde 2002. Coordenação de Eventos: Governo Itinerante do Estado de Goiás, Agepel. Projeto piloto : Município de Acreúna-GO (2004). 
ENCONTROS–CONGRESSOS-SEMINÁRIOS E DEBATES: Encontros do Grupo “Movimentos Sociais no Campo”. 5º Encontro : 1978-Recife-PE 6º Encontro : 1980 –Rio de Janeiro. 7º Encontro : 1981 (Goiânia-GO). Projeto de Intercâmbio de Pesquisa Social em Agricultura - PIPSA. Fundação Getúlio Vargas e Fundação Ford. Mesa Redonda: “Folclore – uma visão interdisciplinar” (1979), Universidade Federal de Viçosa-MG. 
Encontro sobre a Realidade Nordestina (1980), Universidade Federal da Paraíba e Fundação Ford, Campina Grande – PB. 
Também em seu Curriculum, centenas de Seminários de Literatura, Psicologia, Psiquiatria Social, Sociologia, Filosofia, Musica, Comunicação. 
Conferencista e Debatedora em centenas de eventos, entre os quais, “Música, Violência e Exclusão Cultural”, “Pedagogia experimental do piano”, “Pedagogia de Ensino da Música”-Colóquio Schaeffer. 
Produtora do pianista e compositor Maestro Otavio Henrique Soares Brandão, a partir de 1976: Teatro Municipal Severino Cabral de Campina Grande-PB, no Espaço Cultural de João Pessoa, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro (1984), no Teatro Goiânia (1986), na Sala Cecília Meireles, no Teatro Nacional de Brasília (1985/86/87/88), no Teatro de Cultura Artística-SP (1986), na Maison de l´Amérique Latine (Paris-França)-1988, no Auditório do Centro de Convivência de Campinas-SP (1986), no Museu de Arte Moderna de São Paulo- MASP ( 1987 ), no Memorial JK (Brasília-DF) 1987, no Anfiteatro do Centro de Convenções da Universidade de São Paulo (USP)1988, na Salle Pleyel (Paris – França ) – 1990, no Teatro Maison de France (Rio de Janeiro), no Teatro Goiânia, no Castro´s Hotel (Goiânia). 
Outros trabalhos: Produção de recital de piano, Produção de recital da flautista Odete Ernest Dias e do violonista Moisés MANDEL 1986, Rio Verde-GO, alem de centenas de outras realizações que a exigüidade de espaço não mencionar. 
Casou-se com o pianista e compositor Maestro Otavio Henrique Soares Brandão(Rio de Janeiro, 12.11.1950), em 1977, com quem tem 3(três) filhos. 
Faz parte da Diretoria de Ação Cultural da Agencia Goiana de Cultura Pedro Ludovico(AGEPEL). Escritora, Professora, Socióloga e Pesquisadora. Atende pelo e-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  
Apesar de sua importância, não é mencionada no DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE GOIAS(1984), de Ciro Lisita Junior, não é estudada no DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referida, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc. 
Não é citada no DICIONÁRIO DE MULHERES(2000), de Hilda Agnes, bem como no DICIONÁRIO DE MULHERES DO BRASIL(2000), de Schuma Schumaher. Não é referida no livro ENSAÍSTAS BRASILEIRAS(1993), de Heloísa Buarque de Holanda e Lúcia Nascimento Araújo. Não é mencionada no DICIONÁRIO CRÍTICO DE ESCRITORAS BRASILEIRAS, de Nelly Novaes Coelho. 
Não é lembrada no DICIONÁRIO BIOGRÁFICO DE MUSICA ERUDITA BRASILEIRA(Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2005), de Olga G. Cacciatore e nem na ENCICLOPÉDIA DA MUSICA BRASILEIRA-POPULAR, ERUDITA E FOLCLÓRICA(1998), de Marcos Antonio Marcondes. 
Na Academia Goianiense de Letras é a Titular da Cadeira 33, entre os Correspondentes, tendo como Patrono César da Cunha Bastos.

Bookmark and Share