FERNANDO MARTINS

Fernando Martins Santos

Cadeira:39

Patrono:Jaime Câmara

Status:

FERNANDO MARTINS(Fernando Martins Dos Santos), de Goiânia, Goias, 27.08.1960, escreveu, entre outros, “VIDA BANDIDA”(1996), sem dados biograficos completos e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa, via texto produzido. 
Filho de Argemiro Martins dos Santos e Maria Alves dos Santos. Apos os estudos primarios em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde tambem estudou. 
Formou-se em jornalismo, pela Universidade Federal de Goias. Pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário e Centro de Educação Superior de Blumenau(CESBLU), em Santa Catarina. Casou-se com Adriani Alexandre Coelho Martins. 
Iniciou-se na profissão em 1975, com 15 anos, no jornal “Cinco de Março”, de Goiania. Ingressou dois anos depois no jornal “O Popular”, onde atuou de 1977 a 1992 como repórter, subeditor e editor em áreas como Política, Economia, Cidade, Estado, Nacional, Internacional e Caderno 2 (atual Magazine) e durante anos foi o redator da Página de Literatura, dedicada aos comentários sobre lançamentos de livros. 
Paralelamente ao seu trabalho em “O Popular”, atuou como repórter especial, redator e editor em dezenas de publicações locais. Foi durante anos redator-interino da “Agenda Dois”, do jornalista Arthur Rezende, correspondente e free-lancer da revista “Veja”, “Jornal do Brasil” e “Jornal de Brasília. 
Era jornalista do jornal O POPULAR, quando escreveu materia sobre o livro deste autor SOCIOLOGIA GERAL & ESPECIAL, em 12.05.1982, com o titulo "Uma Visão Panorâmica da Realidade Sociológica". 
Em 1992, por volta do mes de Abril, foi Diretor Geral do jornal FOLHA DO TOCANTINS, de propriedade de Siqueira Campos, tendo residido em Palmas, como primeiro secretário de Comunicação do Estado do Tocantins. 
Vinculado à(Fenaj 1074-JP). Editor de Arte, do Informativo JUCEG. Editor do Informativo Eletra. Assessor de Imprensa da FETAEG(Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Goiás), onde atende pelo e-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  
Membro da Associação Goiana de Imprensa, foi secretário geral da entidade, integrante da Diretoria do Clube de Repórteres Políticos de Goiás, e desde 1982 é jornalista efetivo da Assembléia Legislativa do Estado de Goiás. 
Nos últimos quinze anos, desde que fundou a LIBERDADE EDITORA, GRÁFICA, JORNALISMO E PUBLICIDADE, dedica-se a assessorias de imprensa a empresas, entidades e políticos; à publicidade; ao jornalismo empresarial e político; e à redação e edição de jornais, revistas e livros para dezenas de federações, associações, cooperativas, empresas, igrejas, políticos e escritores, além de escrever biografias. 
Em 2007, com 47 anos, foi representante em Brasília da ANER - Associação Nacional de Editores de Revistas. 
É autor da biografia do sentenciado Leonardo Rodrigues Pareja, VIDA BANDIDA, publicada em 1996 e comercializada em 25.000 bancas de revistas de todo o país. 
É autor de “Bernardo”, biografia do escritor goiano e imortal da Academia Brasileira de Letras Bernardo Élis, obra escrita a partir de extensa pesquisa e seguidas entrevistas com o biografado e outros entre 1988 e 1992 e ainda não publicada. 
É autor de “Os caminhos de Adonias”, biografia de Adonias Lemes do Prado, ex-prefeito de Silvânia e um dos fundadores da Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás (Affego). 
Editou livros para dezenas de escritores, como o goiano Carmo Bernardes e o carioca Mário de Moraes. 
Fernando Martins adota em seus livros-reportagens literários estilo que utiliza as características de goianidade, enriquecendo o texto com as tradições, os costumes, o folclore e a linguagem própria dos goianos. A linguagem prende a leitura, não fere a sensibilidade estética dos mais cultos e, ao mesmo tempo, pode ser lido pelo conjunto da sociedade. 
Apesar de sua importância, não é mencionado no DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE GOIAS(1984), de Ciro Lisita Junior, não é citado no livro DOSSIÊ DE GOIAS(2001), de Antonio Moreira da Silva. não é lembrado no livro IMPRENSA GOIANA-DEPOIMENTOS PARA A SUA HISTÓRIA(1980), de Alirio Afonso de Oliveira e Jose Mendonça Teles, não é estudado no DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é convenientemente referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc. 
Na Academia Goianiense de Letras é o Titular da Cadeira 39, entre os Correspondentes, tendo como Patrono Jaime Câmara.

Bookmark and Share