CARLOS LEOPOLDO DAYRELL JR

Carlos Leopoldo Dayrell Júnior

Cadeira:37

Patrono:Rainer Maria Rilke

Status:

CARLOS LEOPOLDO DAYRELL JR-Carlos Dayrell Junior, de Goiânia, Goiás, 24.02.1969, escreveu, entre outros, O PORTAL DO PARAÍSO-UMA EXPERIÊNCIA NA AMAZÔNIA(Romance, Goiânia,2005), com prefácio de Antonio Baptista, capa de Sul Santana e ilustrações de Amaury Menezes, sem dados biográficos completos no livro e sem qualquer outra informação ao alcance da pesquisa, via texto publicado. 
Filho de Carlos Leopoldo Dayrell e neto de Carlos Dayrell. Após os estudos primários em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde também estudou. 
Na Confederação Brasileira de Tênis, ocupou a terceira colocação no Ranking Oficial. Figurou entre os melhores tenistas infanto-juvenis do Brasil. 
Nos anos 80(oitenta), fez o curso de Direito, na Faculdade de Direito, da Universidade Federal de Goiás, onde também cursou especialização em Direito Processual Civil e Direito Processual Penal. 
Como Advogado, fez diversas defesas no Tribunal do Júri Popular. Mediante concurso público, tornou-se Servidor de Carreira do Tribunal de Contas do Estado de Goiás, sendo, atualmente(2005), chefe de Gabinete da Presidência. 
Em 1989, com 20 anos de idade, estudou em Londres, na Inglaterra, tendo viajado por vários países europeus. Adepto do Turismo Ecológico, percorreu a pé dezenas de quilômetros na Chapada Diamantina, no interior baiano, de onde este autor é procedente. 
É Poeta, Musicista, Compositor. Escritor, Ensaísta, Romancista. Pesquisador, Intelectual, Produtor Cultural. 
Seu avô Carlos Dayrell(BH, MG, 1913), foi professor da Universidade Federal de Goiás e seu pai Carlos Leopoldo Dayrell foi Diretor da Faculdade de Direito da UFG. 
Apesar de sua importância, não é mencionado no DICIONÁRIO DO ESCRITOR GOIANO, de José Mendonça Teles, não é citado na ENCICLOPÉDIA DA MÚSICA BRASILEIRA, de Marcos Antonio Marcondes, não é estudado na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho e J. Galante, edição do MEC, 1990, com revisão de Graça Coutinho e Rita Moutinho, em 2001 ou DICIONÁRIO HISTÓRICO-BIOGRÁFICO BRASILEIRO(2001, 5 volumes, 6.211 páginas), da Fundação Getúlio Vargas e nem é referido, em nenhuma das enciclopédias nacionais, Delta, Barsa, Larousse, Mirador, Abril, Koogan/Houaiss, Larousse Cultural, etc. 
Na Academia Goianiense de Letras é o Titular da Cadeira 37, entre os Correspondentes, tendo como Patrono Rainer Maria Rilke. 
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no sitewww.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br

Bookmark and Share