AIDENOR AIRES PEREIRA

Aidenor Aires Pereira

Patrono:Venerando de Freitas Borges

 

FUNDADOR E PRIMEIRO TITULAR DA CADEIRA 39- AIDENOR AIRES. AIDENOR AIRES(AIDENOR AIRES PEREIRA), de Riachão das Neves, Bahia, 30.05.1946, escreveu, entre outros, "REFLEXÕES DO CONFLITO" (1970), "CANTO DO REGRESSO" (POEMAS-1979), "VIA VIATOR" (POEMAS-1986), "AMARAGREI" (1978), "ITINERÁRIO DA AFLIÇÃO"(POEMAS-1973), "LAVRA DE INSOLÚVEL" (POEMAS-1974), "NA ESTAÇÃO DAS AVES"(POEMAS-1973), "RIO INTERIOR"(POEMAS-1977), "OS DEUSES SÃO PÁSSAROS DE VENTO"(1984), “A ÁRVORE DO ENERGÚMENO”(CONTOS-2001), “O DIA FRÁGIL”(POEMAS-2005), “SELETA POÉTICA”(ANTOLOGIA-2005). 
Formado em Letras Vernáculas e Direito, pela Universidade Católica de Goiás. Jornalista Profissional, Promotor de Justiça Aposentado, Advogado. Escritor, Ficcionista, Poeta. Ensaísta, Pesquisador, Conferencista. Produtor Cultural, Contista, Cronista. Pensador, Intelectual, Ativista. Administrador, Educador, Memorialista. 
Detentor do Prêmio Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos, da Prefeitura Municipal de Goiânia. Consta dos livros ESTUDOS LITERÁRIOS DE AUTORES GOIANOS e ESCRITORES DE GOIÁS, de Mário Ribeiro Martins. Membro da Associação Goiana do Ministério Público, da Ordem dos Advogados do Brasil, da União Brasileira de Escritores de Goiás, de que foi seu presidente, da Associação Goiana de Imprensa. 
Em 1983, juntamente com o romancista Antônio Baptista de Oliveira, concorreu à Cadeira 37, da Academia Goiana de Letras, sendo, no entanto, eleito o escritor baiano Mário Ribeiro Martins que tomou posse no dia 19 de março daquele ano. 
Presente na ESTANTE DO ESCRITOR GOIANO, do Serviço Social do Comércio, em várias antologias de poesia e prosa e na ENCICLOPÉDIA DE LITERATURA BRASILEIRA, de Afrânio Coutinho, Edição do MEC, 1990. Encontra-se na SÚMULA DA LITERATURA GOIANA, de Augusto Goyano e Alvaro Catelan, OS NAVEGANTES, de Brasigóis Felício, A NOVA POESIA EM GOIÁS, de Gabriel Nascente, bem como na antologia A POESIA GOIANA NO SÉCULO XX, de Assis Brasil e ainda em GOIÁS-MEIO SÉCULO DE POESIA. 
Biografado no DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO DE GOIÁS, de Mário Ribeiro Martins, MASTER, Rio de Janeiro, 1999. Bem estudado no DICIONÁRIO DO ESCRITOR GOIANO(Kelps, 2006), de José Mendonça Teles. 

Nasceu em Riachão das Neves, Bahia, no dia 30 de maio de 1946. Filho de Wilton Santos e Valeriana Aires Pereira. 
Iniciou, em 1952, os estudos primários em sua terra natal. Nos anos seguintes, mudou-se com a família para Goiânia. 
Na Capital do Estado, matriculou-se na Escola Técnica Federal de Goiás, onde cursou o Ginásio Industrial. 
No Liceu de Goiânia, fez os exames de madureza do segundo grau, sendo aprovado. 
No Instituto de Ciências Humanas e Letras, da Universidade Católica de Goiás, terminou o curso de Letras Vernáculas, tornando-se professor. 
Seu primeiro livro de poemas, “REFLEXÕES DO CONFLITO”, foi publicado em parceria com Gabriel Nascente, em 1970. 
Ambos faziam parte do Novo Grupo de Escritores Novos(NOVO GEN). 
O livro individual, no entanto, só foi editado em 1973, com o título sugestivo “ITINERÁRIO DA AFLIÇÃO”. 
Detentor do PRÊMIO BOLSA DE PUBLICAÇÕES HUGO DE CARVALHO RAMOS, da Prefeitura Municipal de Goiânia. 
Com títulos bem chamativos, publicou vários outros livros, terminando por ganhar o Concurso Nacional de Poesia da Cooperativa de Escritores do Paraná, na década de 1970. 
Foi vencedor do Concurso Nacional de Literatura da Caixa Econômica Estadual de Goiás(CAIXEGO). 
Pela Faculdade de Direito, da Universidade Católica de Goiás, bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais, tornando-se advogado. 
Na década de 1980, por Concurso Público de Provas e Títulos, entrou no Ministério Público Estadual de Goias, tornando-se Promotor de Justiça de várias cidades do interior e da Capital, função em que também se aposentou. 
Passou a dedicar-se à advocacia e também às atividades literárias. 
Sobre ele e com o título “AS INCURSÕES LITERÁRIAS DE AIDENOR AIRES PEREIRA”, escreveu excelente matéria, o crítico literário Mário Martins, no livro ESCRITORES DE GOIÁS, Master, Rio de Janeiro, 1996. 
No Instituto Histórico e Geográfico de Goiás é o 2º Titular da Cadeira 20 que tem como Patrono Luiz Gonzaga de Faria, sendo 1º Titular Cristovam Francisco de Castilho. Tomou posse como Presidente do Instituto, substituindo José Mendonça Teles, em 04.04.2005, sendo reeleito para o Biênio 2007-2009. 
Detentor do Prêmio Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos, do Prêmio Fernando Chinaglia e do Prêmio Bienal Nestlé de Literatura. 
Foi Presidente da União Brasileira de Escritores de Goiás. Eleito e empossado na Academia Goiana de Letras, passou a ocupar a Cadeira 2, tendo como Patrono o ilustre professor Constâncio Gomes de Oliveira. Esta Cadeira foi fundada por Vasco dos Reis Gonçalves e teve como Titular Eli Brasiliense Ribeiro. 
Atualmente(2007), é o Presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, membro do Conselho de Cultura do Município de Goiânia. 
Na Academia Goianiense de Letras é o Titular da Cadeira 39, entre os Titulares, tendo como Patrono Venerando de Freitas Borges
É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br 

Bookmark and Share